Moda

Slow Fashion: o que é e qual seu impacto social?

novembro 28, 2019

Aqui no nosso país tropical, produzimos anualmente mais ou menos 175 mil toneladas – gente, é muiiita coisa, meu Deus!- de resíduos têxteis, e infelizmente só 4% disso é reciclado!

Esse número chocante é porque atualmente a indústria (de todos os ramos, mas vamos focar na moda, né…), tem investido na produção em massa e em publicidades que despertam cada vez mais vontade na gente de trocar as peças do nosso armário a cada estação. E enquanto causam essa sensação na gente, pra conseguirem fabricar mais gastando menos, usam material de qualidade beem duvidosa!!

Resumo dessa ópera? A indústria está bombando em produção com baixa qualidade pra cobrar menos e então, termos vontade de consumir mais! Toda essa baixa qualidade é composta por fibra sintética e outras coisitas mais que são altamente poluentes, tanto na fabricação, quanto quando a gente lava em casa.. que é quando é extraído microplásticos de sua composição!

E aí, né…

É justamente na contra mão disso tudo que surge o Slow Fashion, que ao pé da letra significa “moda lenta”. Esse termo foi criado em 2004, em Londres, pela escritora- de moda- Angela Murrills!

Slow Fashion estimula uma produção mais lenta (agora fica mais claro, o motivo do seu nome, né…) e presta atenção na qualidade da produção de cada peça, além de usar produtos orgânicos, que em nenhuma parte do processo acaba com a natureza!

Essa consciência do Slow Fashion, ainda faz a gente refletir no consumo e prestarmos atenção no que o nosso armário está precisando de fato, e não no consumo sem causa!

A busca por tendências, looks novos, a crença de que é ruim repetir roupa, e o consumo influenciado pela mídia… todo esse imediatismo faz com que a produção vá atrás do mais fácil, aí retira-se do meio ambiente o material!

E então o Slow Fashion traz a consciência de que roupa é poesia e não é brincadeira não!

Temos que dar uma vida útil maior para nossas roupas, consumindo aquilo que reflete exatamente a poesia da nossa alma, e não o que satisfaz apenas uma tendência! Além de fazer o armários render!

Outra característica do SF, é fazer com que nossas lojas queridinhas sejam os produtores locais e independentes! Sem apego aos nome de grandes lojas, que inúmeras vezes nem tem a qualidade lá essas coisas..

Claro, sabermos que o valor da peça pode não ser o mais em conta, mas a consciência sustentável, a técnica e o capricho, fazem valer cada centavo! E também, porque não vamos gastar toda hora, né? Mais vale a qualidade consciente do que a quantidade!

por Rafa Balarini
Deixe seu Comentário